px acessibilidade mapa do site contactos pesquisa área de entidades copyright       
px
px Delegação px Noticias px Eventos px Entidades px Museu px Formulários px FAQ px Hiperligações px Procedimentos Concursais Comuns px Contratação Pública px
px
px
Distrito de Leiria   Distrito de Coimbra   Distrito de Coimbra (2)   Distrito de Viseu   Distrito de Aveiro   Distrito de Aveiro (2)
px

Museu > Distrito de Guarda > Concelho de Guarda >
Monumento a Augusto Gil

Autor: João da Silva (1880 - 1960)

Localização: Guarda: Freguesia da Sé , Largo de S. João.

Data de Inauguração: 1935

Promotor: Comissão Municipal da Guarda

Materiais: Granito e bronze

Dimensões: Pedestal: 0,90m x 3,40 m; Estátua: 1,00 m x 2, 35 m

Descrição/ Tema: Monumento de caracter modernista de inspiração clássica, com algum movimento a apontar para o naturalismo. Constituído por uma estátua feminina (alegoria à poesia) em bronze de pé, com vestes largas exibindo uma cercadura em baixo-relevo, tem a mão esquerda elevada segurando flores como se estivesse a lança-las e na direita ampara uma cítara que sai da base na vertical. Assenta sobre um alto pedestal em pedra, que na face frontal apresenta um medalhão em bronze em médio-relevo representando o busto do poeta Augusto Gil.

Historial: O monumento inaugurado em 1935 (FERREIRA, 2005), homenageia o poeta Augusto César Ferreira Gil (1873-1929), natural do Porto. Estudou inicialmente na Guarda de onde os pais eram naturais e licenciou-se em direito na Universidade de Coimbra. Exerceu advocacia em Lisboa, exercendo posteriormente o cargo de Director-Geral da Escola de Belas-Artes.
Entre a sua obra poética contam-se, “Musa Cérula”, “Versos”, “Luar de Janeiro”, “O Canto da Cigarra”, “Sombra de Fumo” “Alba Plena”, “O Craveiro da Janela”, “Avena Rústica” e “Rosas desta Manhã”.

Bibliografia: - FERREIRA, José Fernandes, Dicionário de Escultura Portuguesa, Editorial Caminho, SA, Lisboa 2005

Fotógrafo: António José Martins
Ano de Registo Fotográfico: 2004
 Monumento a Augusto Gil px