px acessibilidade mapa do site contactos pesquisa área de entidades copyright       
px
px Delegação px Noticias px Eventos px Entidades px Museu px Formulários px FAQ px Hiperligações px Procedimentos Concursais Comuns px Contratação Pública px
px
px
Distrito de Leiria   Distrito de Coimbra   Distrito de Coimbra (2)   Distrito de Viseu   Distrito de Aveiro   Distrito de Aveiro (2)
px

Museu > Distrito de Castelo Branco > Concelho de Castelo Branco >
JARDIM DO PAÇO EPISCOPAL DE CASTELO BRANCO


Autor: Desconhecido

Localização: Castelo Branco, Rua São Bartolomeu da Costa, Antigo Paço Episcopal; Coordenadas: 39°49ཤ.2"N; 7°29ལ.4"W (localização através do Google maps)

Data de Inauguração: 1ºquartel do séc. XVIII

Promotor: Bispo D. João de Mendonça

Materiais: Granito regional

Dimensões:

Descrição: Para Leonel Azevedo, “no Jardim do Paço, apercebe-se a influência dos jardins italianos; o traçado geométrico dos patamares e o aproveitamento das diferenças topográficas para desfrutar das vistas, a introdução das sebes de murta, buxo e de árvores de espinho, a proliferação de estátuas em granito por entre os canteiros, os vários jogos de água, em especial os giochi, os três aproveitamentos dela que o barroco introduziu e cultivou”. Para além das duas grandes escadarias repletas de estatuária – uma com os monarcas portugueses e outra dos apóstolos – que se prolongam para o varandim do lago das coroas, há uma outra de menores dimensões, escolhida para nela figurarem os doutores da igreja. Esta última escadaria unia a residência do bispo (actual Museu Tavares Proença Júnior) e o jardim. A sul do tanque das coroas, e a um nível inferior, encontra-se o jardim alagado, que é um tanque de forma trapezoidal com canteiros curvilíneos no interior, sendo o único sem estatuária. No patamar principal do jardim encontram-se as quatro partes da terra, as estações do ano, o fogo e o ar, o ciclo do Zodíaco e, a coroar todo o atlas de referência ao universo e nos extremos, os novíssimos do homem: a morte, o juízo, o inferno e o paraíso. No patamar superior, junto da cascata, as figuras escolhidas prendem-se com o ciclo da água: Moisés, Samaritana e Santa Ana. Santa Maria Madalena encima um portal que dava para o olival do Paço e abençoa todo o espaço ajardinado, uma vez que é a padroeira dos jardins. O Jardim do Paço, através de um passadiço de três arcos sobre a Rua da Corredoura, comunicava com a Quinta (actual Parque da Cidade) que era dividida em talhões para cultivo, limitados por sebes de buxo, loureiro, murta e cipreste, definindo percursos por entre as áreas cultivadas. Para lá da Quinta desenvolvia-se o bosque, lugar sombrio com diferentes e frondosas árvores, abundando os loureiros e os ciprestes, sendo igualmente percorrido por várias ruas. Em 1936, acede-se ao Jardim do Paço por um novo recinto, através de uma escadaria moderna, ao terraço central do jardim. A decoração deste espaço é constituída por canteiros talhados em buxo, composto por painéis de azulejos que representam vários bispos do bispado de Castelo Branco.

Historial: Seria no primeiro quartel do séc. XVIII, sob o patrocínio do Bispo D. João de Mendonça, que os logradouros e o paço receberiam grandes benefícios. Segundo Leonel Azevedo, “o jardim, dedicado a São João Baptista, seria construído, muito provavelmente após a sua chegada de Roma, em 1720, onde vivera durante três anos”. Aliás. Este mesmo historiador refere que foi, certamente, um arquitecto italiano o autor do Jardim do Paço, à semelhança de encomendas similares de vultos eclesiásticos portugueses e de alguns nobres. Desta forma devem atribuir-se ao patrocínio de D. João de Mendonça a reconstrução do paço episcopal e a reformulação dos seus recreios. Todavia, o jardim só viria a ser terminado por D. Frei Vicente Ferrer da Rocha, segundo bispo de Castelo Branco, coadjuvado por Frei Daniel Joaquim do Rosário, também chamado arquitecto Frei Daniel da Sagrada Família.

Bibliografia: (Texto cedido pela Câmara Municipal de Castelo Branco);
RIBEIRO, João e Azevedo, Leonel (2001), Os Jardins do Paço Episcopal de Castelo Branco, Edição da Câmara Municipal de Castelo Branco;
SALVADO, Maria Adelaide Neto (1996), Jardim do Paço, A Mar Arte, Coimbra;
SILVA, Pedro Rego da (2001), Jardim do Paço (Novos contributos para o estudo dos recreios episcopais de Castelo Branco), Ediraia Publicações Periódicas, Lda., Castelo Branco;
SILVEIRA, António; AZEVEDO, Leonel; OLIVEIRA, Pedro Quintela d’ (2003), O Programa Polis em Castelo Branco – Álbum Histórico, Polis Castelo Branco, p.353-379;

Fotógrafo: Pedro Medeiros

Ano de Registo Fotográfico: 2004

 JARDIM DO PAÇO EPISCOPAL DE CASTELO BRANCO px