px acessibilidade mapa do site contactos pesquisa área de entidades copyright       
px
px Delegação px Noticias px Eventos px Entidades px Museu px Formulários px FAQ px Hiperligações px Procedimentos Concursais Comuns px Contratação Pública px
px
px
Distrito de Leiria   Distrito de Coimbra   Distrito de Coimbra (2)   Distrito de Viseu   Distrito de Aveiro   Distrito de Aveiro (2)
px

Museu > Distrito de Viseu > Concelho de Tondela >
MONUMENTO AOS MORTOS DA GRANDE GUERRA

Autor: Pedro de Figueiredo e Escultora Branca Alarcão

Localização: Tondela, Freguesia de Tondela, Largo Prof. Doutor Anselmo Ferraz de Carvalho; Coordenadas: N 400 30´56´´; W 80 04´51´´.

Data de inauguração: 31 de Maio de 1933

Promotor: Câmara Municipal de Tondela

Materiais: Bronze e pedra

Dimensões: Estátua 2,00m x 0,60m; coluna 1,50m x 0,60m; base 0,62m x 1,50m e 2,30m x 1,50m e 2,30m; base assente no pavimento com altura variável entre os 0,05m e 0,20m x 5,00m x 5,00m.

Descrição: Estátua de inspiração naturalista, conhecida como Soldado Desconhecido, representa a despedida de um soldado da sua mãe antes de partir para a guerra. Trata-se de um monumento que foi erguido em homenagem aos combatentes da Grande Guerra (1914-1918). A Escultura em bronze assente num pedestal de cantaria canelado, o qual está sobre uma base em pedra que tem duas placas com as seguintes inscrições: “A ALEGRIA DOS QUE REGRESSAM / NÃO FAZ ESQUECER OS QUE MORRERAM ”; “AOS COMBATENTES DA GRANDE GUERRA / 1914-1918 / O CONCELHO DE TONDELA EM 1933”.

Historial: O presidente da Câmara de Tondela, o Dr. Eurico José de Gouveia, em 1932, solicitou a Pedro de Figueiredo, a realização de um estudo para um monumento que transmitisse os sentimentos dos tondelenses pelos mortos na Grande Guerra.
Pedro de Figueiredo deslocou-se ao local, onde iria ficar o monumento, acompanhado do escultor Emanuel Ribeiro, também Professor na Escola Industrial Faria de Guimarães no Porto, e que veio a desenhar um esboço baseado em motivos bélicos, não tendo sido bem aceite. Posto isto, Pedro de Figueiredo exibiu um desenho, expressando o sentimentalismo dos naturais de Tondela, cujo título do desenho era: “O ADEUS AO SOLDADO”, pois representava um soldado que partia para a guerra, despedindo-se da sua mãe. O desenho de Pedro de Figueiredo, a lápis e carvão encontra-se na galeria de arte do jornal “O Comércio do Porto”.
Emanuel Ribeiro foi o escultor escolhido, o qual idealizou a legenda para o monumento: “A ALEGRIA DOS QUE REGRESSAM NÃO ESQUECE os que morreram”. Porém, doença prolongada deste artista fez com que a execução do trabalho fosse entregue à escultora Branca Alarcão, discípula de mestre Teixeira Lopes.
O grupo escultórico em bronze, assente em pedestal, de cantaria canelado é obra de Sá Lemos e foi colocado no local em 31 de Maio de 1933. Fernando Henriques Puchêz foi o canteiro executante. O monumento ergue-se numa zona ajardinada de Tondela e foi custeado por verba obtida por subscrição aberta pela Câmara. Desconhece-se porém qual teria sido de facto o seu custo total. Consta que o Ministério do Exército teria contribuído com duas toneladas de bronze. Foi inaugurado inicialmente no Largo Cândido dos Reis, actual Largo Professor Doutor Anselmo Ferraz de Carvalho.

Bibliografia: Informações cedidas pela Câmara Municipal de Tondela;
http://brancadonascimentoalarcao.blogspot.com/ [conferido a 02-03-2011];
http://www.cm-tondela.pt/portal/page?_pageid=342,1358943&_dad=portal&_schema=PORTAL [conferido a 02-03-2011].

Fotografo: José Alfredo

Ano do Registo Fotográfico: 2005
 MONUMENTO AOS MORTOS DA GRANDE GUERRA px