px acessibilidade mapa do site contactos pesquisa área de entidades copyright       
px
px Delegação px Noticias px Eventos px Entidades px Museu px Formulários px FAQ px Hiperligações px Procedimentos Concursais Comuns px Contratação Pública px
px
px
Distrito de Leiria   Distrito de Coimbra   Distrito de Coimbra (2)   Distrito de Viseu   Distrito de Aveiro   Distrito de Aveiro (2)
px

Museu > Distrito de Aveiro > Concelho de Aveiro >
MONUMENTOS AOS MORTOS DA GRANDE GUERRA

Autor: José Sousa Caldas
Localização: Aveiro, Freguesia de Vera Cruz, Avenida Dr. Lourenço Peixinho;
Coordenadas: N 400 38´30´´; W 80 39´05´´
Data de inauguração: 27 de Abril de 1934
Promotor: Câmara Municipal de Aveiro
Materiais: Granito, calcário e bronze
Dimensões: Base do chão 0,70m x 4,00m x 4,64m / base do pedestal 0,60m x 2,38m x 2,27m / estrutura em calcário 1,30m x 2,05m x 4,12m / pedestal 2,73m x 1,41m x 1,28m / estátua 3,35m x 1,60m x 1,60m / floreira 0,35m x 4,48m x 4,90m
Descrição: Conjunto escultórico constituído por uma estátua de um soldado em bronze, numa posição de atirador, de baioneta em riste e animação pouco convincente, que assenta sobre um pedestal em pedra que se desenvolve em volumes de traça geométrica.
Na base da escultura em bronze está gravado: Fundição A, Santos Gaya. No centro do pedestal sobressaem, em relevo, as armas da cidade de Aveiro. Como base do pedestal, ladeado numa estrutura em calcário, tem inscrito, a baixo-relevo, os nomes dos soldados do concelho, desaparecidos em combate durante os anos do conflito. Em torno existe uma floreira.

Historial: Acompanhando a tendência nacional de se erguerem monumentos de homenagem aos mortos da Grande Guerra, motivada pela passagem de mais um aniversário do Armistício, surge, cerca de 1927, a ideia da construção desta escultura. É então criada, em Aveiro, uma Comissão Administrativa responsável por contratar o escultor, escolher o espaço apropriado e angariar os fundos necessários à sua prossecução. A obra seria executada por José Sousa Caldas, sugerindo-se, numa primeira fase, que viesse a ser colocada na Praça Marquês de Pombal, junto ao Governo Civil. Contudo, considerou-se, posteriormente, que o lugar mais indicado seria a principal artéria da cidade, a actual Avenida Dr. Lourenço Peixinho, na época ainda designada por Avenida Central.
Aprovado o projecto desde 1932, o monumento só viria a ser inaugurado a 27 de Março de 1934, numa cerimónia presidida pelo Dr. Lourenço Simões Peixinho, então presidente da edilidade e grande impulsionador da obra.
Bibliografia: PEREIRA, José Fernandes, Dicionário de Escultura Portuguesa, Lisboa, 2005;
OLIVEIRA, R. M., O discurso da cidade, Leituras da Avenida Dr. Lourenço Peixinho, Câmara Municipal de Aveiro: Colecção História. P. 35, 2001.

Fotografo: José Meneses
Ano do Registo Fotográfico: 2005
 MONUMENTOS AOS MORTOS DA GRANDE GUERRA px